A preparação da boa notícia da pesquisa sobre zika

MAURÍCIO TUFFANI,
Editor

Esta semana terá a ampla divulgação, a partir da tarde de hoje, de muitas notícias sobre os resultados de uma pesquisa promissora sobre a correlação entre o Zika vírus e a microcefalia. O estudo, que usou células-tronco humanas reprogramadas, será publicado na próxima sexta-feira na revista Science, dos Estados Unidos. Mas a jornalista Ana Lúcia Azevedo já adiantou o assunto nesta manhã em sua reportagem “Estudo do Rio pode ajudar a testar vacina ou remédio contra zica”, em O Globo. Ela entrevistou o neurocientista Stevens Rehen, coordenador da pesquisa, que é professor da UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) e do Idor (Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino).

 

Coletiva

A jornalista de O Globo antecipou-se também à entrevista coletiva marcada para as 14h30 desta segunda-feira na sede da ABC (Academia Brasileira de Ciências), com a participação do Idor, da UFRJ e também da Faperj (Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro), que apoiou a pesquisa. O convite enviado à imprensa pela ABC destaca:

Para se ter uma ideia da relevância desta conquista, em 136 anos de existência e 170.000 artigos publicados, apenas 84 artigos com autores ligados a instituições brasileiras foram aceitos na publicação [a revista Science], sendo que destes, somente 36 foram realizados por cientistas lotados exclusivamente Brasil.

 

Saldo negativo 1

Para a Faperj, que está com meses de atraso no pagamento de bolsas de pós-graduação, a coletiva será uma oportunidade de aparecer em boas notícias. Mas dificilmente a fundação conseguirá fazer o saldo de sua imagem na opinião pública ser positivo. Para complicar, a ANPG (Associação Nacional de Pós-Graduandos) marcou para amanhã (terça-feira, 12/3) uma manifestação em frente à sede da Secretaria da Fazenda do Estado do Rio de Janeiro.

 

Saldo negativo 2

A pesquisa de Rehen e seus colegas Amílcar Tanuri, Patricia Garcez e Rodrigo Brindeiro também teve suporte do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico). O órgão federal, cujo nome não consta no convite para a coletiva de hoje, suspendeu a concessão de novas bolsas no exterior. Não houve cortes para os 6.607 beneficiários atuais, mas esse número é menor que os 9.468 de 2015, que por sua vez foi menor que os 10.626 bolsistas de 2014. No pano de fundo, o congelamento de R$ 1 bilhão do orçamento deste ano do MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovacão).

 

Crítica de leitor

O leitor Antonio Maciel criticou com razão este blogueiro ontem à noite no espaço de comentários do artigo “Imprensa questiona ‘fim da crise hídrica’, mas divulga índices distorcidos da Sabesp”, publicada na semana passada (4/4). Destacando que Direto da Ciência qualificou como “desatino lógico”, “aberração matemática”, “pirotecnia aritmética em pleno ano eleitoral” e “desajuizado” o chamado Índice 1 de armazenamento do sistema Cantareira “inventado” pela Sabesp, o leitor observou uma informação importante: o próprio governador Geraldo Alckmin (PSDB) usou esse tresloucado indicador ao ter afirmado no dia 7 de março que a crise hídrica havia terminado, como registrou o Estadão já nesse mesmo dia (“Alckmin diz que ‘questão da água está resolvida”):

“A questão da água está resolvida, porque nós já estamos chegando a quase 60% do Cantareira e 40% do Alto Tietê. Isso é água para quatro, cinco anos de seca’, afirmou Alckmin durante palestra na Associação Comercial de São Paulo, no centro da capital paulista.

Direto da Ciência concorda com o leitor e agradece por sua crítica.

 

Apoio à inovação

Termina no próximo dia 25 o prazo para micro, pequenas e médias empresas brasileiras sediadas no estado de São Paulo apresentarem propostas para a chamada pública da Fapesp e da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) de apoio financeiro para P&D (pesquisa e desenvolvimento) de produtos, processos e serviços inovadores para aplicações em cidades inteligentes e sustentáveis. O total de recursos alocados é de R$ 10 milhões. As áreas temáticas são meio ambiente sustentável, mobilidade urbana, tecnologias assistivas, segurança pública, saúde e tecnologias para difusão de educação e cultura. O orçamento solicitado na proposta poderá ser de até R$ 1,5 milhão, informa a Agência Fapesp.

 

Lançamento hoje

Quem estiver nesta segunda-feira em São Paulo e estiver interessado na coleção “Humanistas e cientistas do Brasil”, poderá adquiri-la pela metade do seu preço de capa. A oportunidade acontecerá no lançamento da obra pela SBPC e pela Edusp. O livro resultou de um projeto coordenado pelo geneticista Luiz Edmundo de Magalhães (1927-2012), que foi diretor do Instituto de Biociências da USP, reitor da Universidade Federal de São Carlos (1975-1979) e, entre outros tantos trabalhos de destaque, foi responsável pela produção do primeiro camundongo transgênico no Brasil. Os três volumes são “Ciências da Vida” (R$ 58), “Ciências Exatas” (R$ 42) e “Ciências Humanas” (R$ 52). O lançamento está marcado para as 18h30 na sede da SBPC (Rua Maria Antonia, 294, 3º andar).

Na imagem acima, Mosquito Aedes aegypti, transmissor do zika vírus. Imagem: Agência Brasil.


Apoie o jornalismo crítico e independente de Direto da Ciência

Você acha importante o trabalho deste site? Independência e dedicação têm custo. E conteúdo exclusivo e de alta qualidade exige competência e também investimento para ser produzido. Conheça o compromisso de Direto da Ciência com essa perspectiva de trabalho jornalístico e com seus leitores. (Clique aqui para saber mais e apoiar.)


Receba avisos de posts de Direto da Ciência.

Informe seu e-mail para receber avisos. Ele não será fornecido a terceiros.

Para sua segurança, você receberá uma mensagem de confirmação. Ao abri-la, basta clicar em Confirmar, e sua inscrição já estará concluída. Você sempre poderá, se quiser, cancelar o recebimento dos avisos.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

*

Top