Governo segura desde junho estimativa maior de desmatamento da Amazônia

MAURÍCIO TUFFANI,
Editor

Uma revisão do desmatamento da Amazônia entre 2014 e 2015 mostrou que o corte raso nas florestas da região alcançou 6.207 km², ou seja uma extensão 6,45% maior que os 5.831 km² divulgados no final do ano passado. Concluídos em maio pelo Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), os dados estão retidos desde junho no MCTIC (Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações), aguardando o ministro Gilberto Kassab (PSD) liberar a divulgação.

Leia mais sobre o assunto em minha reportagem para o UOL “Governo segura desde junho estimativa maior de desmatamento da Amazônia”, que marca o início de uma parceria de Direto da Ciência com o maior portal brasileiro de conteúdo, produtos e serviços de internet desde sua fundação há 20 anos, em 1996. Com mais de 1.000 canais de jornalismo, o UOL possui mais de 7,4 bilhões de páginas vistas todos os meses e sua home page recebe mais de 50 milhões de visitantes únicos por mês. atraindo sete em cada dez internautas brasileiros.

 

E o desmatamento zero?

Ao mostrar que a maior ocorrência anual de corte raso na Amazônia brasileira desde 2012 é ainda maior do que imaginávamos, a notícia traz preocupação também com o objetivo de zerar a devastação florestal na região. Para isso, já está no Congresso o projeto de lei do Desmatamento Zero, que reuniu mais de 1,4 milhão de assinaturas e acaba de ser aberta para consulta pública. Mais informações sobre o assunto no site do Greenpeace.

 

SciELO em 2014 e 2015

O blog SciELO em Perspectiva publicou ontem (sexta-feira, 23/set) informações sobre o fluxo editorial de 2014 e 2015 coletados nas consultas semestrais que essa plataforma realiza sobre seus periódicos. Assinado por Abel L Packer, Alex Mendonça e Fábio Almeida, o post mostra quatro tabelas com dados de apresentação e aceitação de artigos para os 266 periódicos que responderam às consultas, discriminando áreas temáticas e sistemas de gestão online. Ao todo, em 2015 foram recebidos 80.025 manuscritos, dos quais foram aceitos para publicação 17.027. Confira em “Fluxo de manuscritos e artigos processados pelos periódicos do SciELO Brasil em 2014 e 2015”.

 

Transferência de tecnologia

Um projeto de lei na Câmara dos Deputados propõe submeter a transferência de tecnologia produzida por entidades públicas para empresas privadas às mesmas regras para licitações e contratos da administração pública, com preferência para empresas nacionais ou estrangeiras que se comprometerem a investir no País. Apresentada pelo do deputado Alberto Fraga (DEM-DF), o PL 4.834/2016 tem como justificativa “resguardar o conhecimento produzido pelas entidades públicas. Segundo a Agência Câmara Notícias, o parlamentar afirma:

“O conhecimento produzido por esses órgãos é patrimônio público e deve ser protegido, pois significa investimentos e empregos”. (…) Há exemplos de tentativa de transferência de conhecimento a entidades privadas sem se passar pelas normas de licitação e contratos, o que pode onerar o patrimônio público.”

 

Sem plenário

O projeto está na Comissão de Trabalho, de Administração e Serviço Público, onde aguarda parecer do deputado Walney Rocha (PEN-RJ). Depois deverá ser apreciado também pelas comissões de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática e de Constituição e Justiça e de Cidadania. A proposta tramita em caráter conclusivo, ou seja, sua aprovacão não exigirá apreciação pelo plenário se não tiver contestação nas comissões.

 

Destaques na internet

Seleção de artigos, reportagens e outros textos publicados on-line desde ontem.

 

Agência Câmara Notícias

Proposta aplica regras de licitações para transferência de tecnologia
Noeli Nobre e Marcia Becker

Agência Fapesp

Agência Gestão de CT&I

Blog do Pedlowski (Marcos Pedlowski)

Época

O Estado de S. Paulo

Folha de S.Paulo

O Globo

Jornal da Ciência (SBPC)

MCTI – Notícias

The New York Times

Observatório do Clima

Retraction Watch

SciELO em Perspectiva

Science

UOL

Valor Econômico

 

Na imagem acima, detalhe da página final da nota técnica “Inpe apresenta taxa de desmatamento consolidada do Prodes 2015″, indicando a conclusão do trabalho em junho. Imagem: Reprodução..


Apoie o jornalismo crítico e independente de Direto da Ciência

Você acha importante o trabalho deste site? Independência e dedicação têm custo. E conteúdo exclusivo e de alta qualidade exige competência e também investimento para ser produzido. Conheça o compromisso de Direto da Ciência com essa perspectiva de trabalho jornalístico e com seus leitores. (Clique aqui para saber mais e apoiar.)


Receba avisos de posts de Direto da Ciência.

Informe seu e-mail para receber avisos. Ele não será fornecido a terceiros.

Para sua segurança, você receberá uma mensagem de confirmação. Ao abri-la, basta clicar em Confirmar, e sua inscrição já estará concluída. Você sempre poderá, se quiser, cancelar o recebimento dos avisos.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

Top