Listas de editoras e periódicos predatórios somem da internet, mas aqui estão as cópias

Jeffrey Beall teria desativado seu blog com as famosas listas, segundo nota da Universidade do Colorado em Denver

MAURÍCIO TUFFANI,
Editor

As famosas listas dos chamados “publishers predatórios” e de suas revistas acadêmicas, do blog Scholarly Open Access, não estão acessíveis desde domingo (15/jan). Elaboradas pelo biblioteconomista Jeffrey Beall, professor da Universidade do Colorado em Denver, nos Estados Unidos, essas listas têm sido a principal fonte de consulta sobre editoras e revistas acadêmicas que publicam artigos sem observar os preceitos de rigor científico.

O próprio Beall teria decidido remover da internet suas listas, segundo nota de sua universidade encaminhada ao blog Retraction Watch, que acompanha retratações de trabalhos científicos. Em atualização no início da noite de ontem (terça-feira, 17) do post “Why did Beall’s List of potential predatory publishers go dark?”, publicado no início da tarde pelo editor Ivan Oransky, o blog inseriu a seguinte nota.

Jeffrey Beall, professor associado e bibliotecário da Universidade do Colorado em Denver, decidiu não manter mais nem publicar sua pesquisa ou blog sobre periódicos de acesso aberto e “publishers predatórios”. A UC [Universidade do Colorado em] Denver apoia e reconhece o trabalho importante com o qual o professor Beall tem contribuído para esse campo e para estudiosos em todo o mundo. A UC Denver também entende e respeita sua decisão de desativar seu site scholarlyoa.com neste momento. O professor Beall permanece no corpo docente da universidade e estará buscando novas áreas de pesquisa.

Ainda ontem, antes do início da manhã, enviei mensagem para Beall para tentar entender o que está acontecendo, mas ainda não obtive resposta. No entanto, ele foi contatado pelo jornalista Andrew Silver, da Nature News, reconhecendo a desativação do site, mas sem dar nenhuma explicação (“Controversial website that lists ‘predatory’ publishers shuts down”).

Foi removida também a página do Facebook que veiculava informações das listas de Beall. As tentativas de acesso levam ao seguinte aviso.

 

Ponto de partida

As listas de Beall têm sido importantes como ponto de partida para avaliações na escolha de periódicos, por parte de autores, para publicar seus trabalhos científicos. Elas têm sido importantes também para instituições acadêmicas e agências de fomento na avaliação de pesquisadores, professores e pós-graduandos e de propostas de projetos e de solicitações de bolsas e auxílios à pesquisa.

É importante ressaltar o caráter de ponto de partida dessas listas, e não como avaliação definitiva. O próprio Beall destacava ao início de suas listas a seguinte advertência.

Recomendamos que os estudiosos leiam as revisões disponíveis, as avaliações e as descrições fornecidas aqui e, em seguida, decidam por si próprios se querem enviar artigos, atuar como editores ou em comitês editoriais.

Foi justamente considerando como ponto de partida o trabalho de Beall que, após a aplicação de critérios adicionais, e com a ajuda de pesquisadores brasileiros, publiquei em 2015 em meu blog anterior, no site da Folha de S. Paulo, a relação dos “Publishers ‘predatórios’ e seus periódicos no Qualis”.

Em seu post no Retraction Watch, Oransky deu link do tuíte de Lacey Earle, vice-presidente de negócios da base de dados Cabells International, em que ela manifesta seu apoio a Beall mencionando ameaças com processos judiciais contra ele. O RW comentou também especulações de que Beall estaria migrando seu trabalho para a empresa, que já manifestou intenção de lançar sua própria “lista negra” de publishers ou periódicos.

A situação do Scholarly Open Access foi noticiada ontem também pela Science por Dalmee Singh Chawla, que atua também no Retraction Watch, com a reportagem “Mystery as controversial list of predatory publishers disappear”.

Enquanto não temos explicações concretas sobre as razões que levaram Beall a deixar sem acesso suas listas, podemos ter acesso às últimas atualizações delas por meio da plataforma Archive nos links a seguir.

 

Estadão critica Alckmin

Depois da Folha ontem com seu editorial “Alckmin contra a Fapesp”, que foi mencionado em minha coluna de ontem, hoje foi a vez do outro grande jornal paulistano e nacional, O Estado de S. Paulo, apresentar também sua opinião sobre o assunto com “Respeitar a lei e a Fapesp”, do qual transcrevo o trecho a seguir.

É de admirar, portanto, que o governador Geraldo Alckmin, com inequívocas intenções presidenciais, tenha consentido com essa medida de restrição orçamentária à Fapesp. Além de alimentar resistências a seu nome, corre o risco de ver relacionado seu estilo de governar a uma visão estreita e de curto prazo, incompatível com as competências requeridas para o exercício do mais alto cargo da República.

 

Bolsas para pesquisa sobre mandioca

Estabelecida em 2015 pelo agrônomo Nagib Nassar, professor Emérito da Universidade de Brasília, a Fundação Nagib Nassar Para o Desenvolvimento Científico e Sustentável, com recursos por ele obtidos por meio do Prêmio da Fundação Kuwait para o Avanço da Ciência, oferece três bolsas para alunos de mestrado ou doutorado que estejam desenvolvendo dissertação ou tese sobre mandioca. Mais informações no edital.

Publicada às 9h55 (horário de verão de São Paulo), esta coluna foi atualizada às 12h13 e poderá durante esta quarta-feira ter mais informações acrescentadas sobre o blog Scholarly Open Access ou suas listas.

 

Destaques na internet

Seleção de artigos, reportagens e outros textos publicados on-line desde a coluna de ontem (terça-feira, 17).

 

Agência Fapesp

BBC Brasil

For Better Science

Blog da Revista História, Ciências, Saúde-Manguinhos

Blog do Pedlowski

O Eco

Época

O Estado de S. Paulo

Folha de S.Paulo

O Globo

Jornal da Ciência (SBPC)

MCTI – Notícias

Nature News

The New York Times

Notícias SOS Mata Atlântica

Observatório do Clima

Pesquisa Fapesp

Retraction Watch

Science

Valor Econômico

Na imagem acima, página da lista de publishers predatórios do blog Scholarly Open Access.


Apoie o jornalismo crítico e independente de Direto da Ciência

Você acha importante o trabalho deste site? Independência e dedicação têm custo. E conteúdo exclusivo e de alta qualidade exige competência e também investimento para ser produzido. Conheça o compromisso de Direto da Ciência com essa perspectiva de trabalho jornalístico e com seus leitores. (Clique aqui para saber mais e apoiar.)


Receba avisos de posts de Direto da Ciência.

Informe seu e-mail para receber avisos. Ele não será fornecido a terceiros.

Para sua segurança, você receberá uma mensagem de confirmação. Ao abri-la, basta clicar em Confirmar, e sua inscrição já estará concluída. Você sempre poderá, se quiser, cancelar o recebimento dos avisos.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

*

Top