Falhas persistem ao atualizar currículos Lattes; para CNPq, “problemas são pontuais”

Usuários continuam apontando o problema. Agência afirma que “tudo está, aparentemente, funcionando como deveria”


MAURÍCIO TUFFANI,
Editor

Passadas três semanas desde a publicação da reportagem “Falha no Lattes atrapalha atualização de currículos de pesquisadores” (8/fev), Direto da Ciência recebeu dezenas de mensagens com reclamações de usuários da na Plataforma Lattes, administrada pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), relatando a continuidade do mesmo problema.

Na manhã de ontem, quinta-feira (2), Direto da Ciência voltou a entrar em contato com dois grupos de cientistas em redes sociais para obter relatos sobre essas falhas que começaram a ser apontadas no final de janeiro. Da mesma forma que no mês passado, a reportagem constatou que o problema não atinge todos os usuários do sistema, mas tem dificultado pesquisadores e acadêmicos de instituições de todas as regiões do país.

Muitas das reclamações são descritas da mesma forma apresentada pela psicóloga Iara da Silva Freitas, mestranda da USP, em seu comentário feito na quarta-feira (1) à reportagem de 8 de fevereiro:

Ao tentar atualizar meu Currículo Lattes, aparece a seguinte mensagem:
“wwws.cnpq.br diz:
Atenção:
Houve ERRO na execução dessa operação.
Esta sendo enviado um e-mail à equipe de Suporte para verificação do problema.”

Usuários relatam que não têm recebido respostas do CNPq. Outros afirma que essas irregularidades no sistema têm ocorrido também para cadastrar trabalhos científicos por meio de seus códigos alfanuméricos DOI (identificador de objeto digital).

Em alguns casos, essas falhas estariam dificultando também a atualização de dados para outra base de dados, a Plataforma Sucupira, da Coordenação de Aperfeiçoamento do Pessoal de Nível Superior (Capes), como relatou o físico Gustavo do Amaral Valdiviesso, professor de ciência e engenharia Ambiental da Universidade Federal de Alfenas, como mostra seu comentário feito ontem à citada reportagem de 8 de fevereiro:

O problema persiste. Os programas de pós-graduação estão trabalhando para atualizar a plataforma Sucupira, a qual se baseia em dados da plataforma Lattes, tais como orientações e produção científica. Se poder inserir um novo artigo via DOI (ou de qualquer outra forma, já que o DOI é exigido e não uma opção), muitos pesquisadores ficaram com seus currículos defasados, o que pode prejudicar a avaliação dos programas de pós.

Questionada na quarta-feira, a Assessoria de Comunicação do CNPq no mesmo dia enviou a seguinte resposta.

Não foi constatado nenhum problema aparente nos sistemas do CNPq. Testes de envio de propostas foram realizados e tudo está, aparentemente, funcionando como deveria. Pelas questões apresentadas, não é possível ter um diagnóstico claro. Percebe-se que são problemas diferentes entre si e não é possível responder com especificidade.

Em face dessa resposta e da continuidade do recebimento de reclamações, principalmente por meio mensagens particulares ou de nosso Fale Conosco, Direto da Ciência solicitou ao CNPq uma orientação para os usuários. Em resposta o CNPq afirmou:

Como não foi constatado nenhum problema no sistema, podem ser problemas pontuais e particulares. E nem sempre os problemas são relacionados à TI, como casos de CPF não coincidente, dúvidas sobre o formulário ou a chamada, entre outras. Por isso, o encaminhamento padrão é a nossa Central de Atendimento: http://www.cnpq.br/web/guest/central-de-atendimento.

Alguns usuários já informaram ter conseguido resolver a dificuldade. Outros informam que o problema persiste.

A Plataforma Lattes integra bases de dados de currículos, grupos de pesquisa e de instituições em um único sistema de informações acessível pela internet. Suas informações são usadas não só pelas áreas de ciência, tecnologia e inovação e de pós-graduação do governo federal, mas também por toda a comunidade das instituições de pesquisa e de ensino superior do país e das agências de fomento do país.

O Currículo Lattes se consagrou como um padrão nacional para acadêmicos e pesquisadores atuantes no Brasil, tornando-se elemento de análise de avaliação para concursos, promoções e concessões de bolsas e financiamento a pesquisas.

O espaço de comentários abaixo está à disposição das pessoas que quiserem apresentar seus relatos e opiniões sobre o assunto.

Na imagem acima, detalhe da tela inicial da Plataforma Lattes, do CNPq. Imagem: Reprodução.


Apoie o jornalismo crítico e independente de Direto da Ciência

Você acha importante o trabalho deste site? Independência e dedicação têm custo. E conteúdo exclusivo e de alta qualidade exige competência e também investimento para ser produzido. Conheça o compromisso de Direto da Ciência com essa perspectiva de trabalho jornalístico e com seus leitores. (Clique aqui para saber mais e apoiar.)


Receba avisos de posts de Direto da Ciência.

Informe seu e-mail para receber avisos. Ele não será fornecido a terceiros.

Para sua segurança, você receberá uma mensagem de confirmação. Ao abri-la, basta clicar em Confirmar, e sua inscrição já estará concluída. Você sempre poderá, se quiser, cancelar o recebimento dos avisos.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

3 Comentários

  1. IARA DA SILVA FREITAS said:

    Prezado Maurício,

    Agradeço muito pela atualização da matéria e pelo contato junto ao CNPq.
    Também conseguí atualizar meu currículo Lattes com sucesso ontem.

  2. Rosana said:

    Grata pelas informações, elas me ajudaram a entender o que está acontecendo.
    Eu consegui atualizar o Lattes ontem, depois de vários dias tentando sem sucesso.
    Estou tendo problemas também com meu email do CNPq, o qual retém na caixa de quarentena mensagens que demandam respostas imediatas. Isso está sendo um problema grande, porque as mensagens demoram até uma semana para serem liberadas e eu não tenho acesso a elas.
    Escrevi para o suporte do CNPq, o qual me encaminhou para o atendimento, e esse último não responde meus emails.

  3. Jorge said:

    O meu está com o mesmo problema. E as informações enviadas posteriormente correm o risco de serem perdidas, pois a mensagem de erro que recebo hoje é que as informações anteriores “não foram ainda processadas” e serão perdidas se confirmar novo envio. Já reclamei na central e aguardo ação.
    Grato pela matéria.

*

Top