Boletim de Notícias, 26/jul: Alckmin veta nova lei de restrição de animais no ensino

MAURÍCIO TUFFANI,
Editor

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), vetou ontem (25) integralmente o projeto de lei do deputado estadual Feliciano Filho (PSC) que propunha nova regulamentação para a restrição do uso de animais em atividades de ensino no estado. A aprovação da proposta atingiria especialmente cursos de biologia, ciências biomédicas, medicina, medicina veterinária e psicologia.

Em sua mensagem de veto, Alckmin afirmou que, além não ser da competência legislativa estadual – a não ser para disciplinar especificidades locais e eventuais lacunas –, a matéria já é tratada no âmbito federal por meio da lei 11.794/2008. E essa lei foi regulamentada pelo decreto 6.899/2009, que instituiu o Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (CONCEA).

A decisão do governador de vetar o projeto de lei proposto em 2012 por Feliciano (não confundir com o deputado federal Pastor Marco Feliciano, também do PSC) se baseou em pareceres das três universidades estaduais paulistas (Unesp, Unicamp e USP).

“As restrições valeriam tanto para vertebrados quanto invertebrados, impedindo até mesmo o uso de formigas, baratas ou minhocas em aulas práticas de biologia, além dos tradicionais ratos e camundongos”, afirmou o repórter Herton Escobar, que ontem informou o encerramento hoje do prazo para Alckmin sancionar ou vetar o projeto de lei. O jornalista do Estadão também apresentou os pareceres encaminhados ao governo. Confira na reportagem  “Governo avalia proibições ao uso de animais em cursos de medicina e biologia” e na mensagem do veto publicada hoje no Diário Oficial.

 

Após o Boletim de Notícias de ontem, Direto da Ciência publicou

“Consultoria lança lista negra de periódicos, mas acesso é pago”.

Seguem os links das principais notícias de ciência, meio ambiente e ensino superior desde nossa edição de ontem.

Boa leitura.

Na imagem acima, animais para experimentação. Foto: Fundação Estadual de Produção e Pesquisa em Saúde do Rio Grande do Sul/Divulgação.

 

Agência Fapesp

Amazônia Real

BBC Brasil

Bishop Blog

Capes – Notícias

Deusche Welle

O Eco

Estadão (O Estado de S. Paulo)

Folha.com (Folha de S.Paulo)

G1

O Globo

The Guardian

Jornal da Ciência (SBPC)

  • Estamos todos doentes? – Pesquisadora da Unicamp alerta para influência da indústria farmacêutica no crescimento do número de diagnósticos de transtornos mentais
    Patricia Mariuzzo

Lúcio Flávio Pinto

Nature News

New Scientist

The New York Times

Observatório do Clima

Pesquisa Fapesp

Retraction Watch

The Scholarly Kitchen

Science

Scientific American

Scientific American Brasil

UFABC/em>

USP

Valor Econômico

The Washington Post

 


Apoie o jornalismo crítico e independente de Direto da Ciência

Você acha importante o trabalho deste site? Independência e dedicação têm custo. E conteúdo exclusivo e de alta qualidade exige competência e também investimento para ser produzido. Conheça o compromisso de Direto da Ciência com essa perspectiva de trabalho jornalístico e com seus leitores. (Clique aqui para saber mais e apoiar.)


Receba avisos de posts de Direto da Ciência.

Informe seu e-mail para receber avisos. Ele não será fornecido a terceiros.

Para sua segurança, você receberá uma mensagem de confirmação. Ao abri-la, basta clicar em Confirmar, e sua inscrição já estará concluída. Você sempre poderá, se quiser, cancelar o recebimento dos avisos.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

Um comentários;

  1. Marcia said:

    Esta atitude do governador representa um verdadeiro RETROCESSO da ciência. Enquanto o mundo se conscientiza da barbárie e injustiça que representa a experimentação animal, atos como esse do governador de São Paulo deixam os brasileiros envergonhados. Não é e nunca foi necessário causar sofrimento e morte em seres vivos para o mero fim de “aprendizagem”! O que as faculdades querem ensinar aos seus alunos? Técnicas de tortura de seres inocentes? Como perder o respeito pela vida? É isso que querem ensinar aos profissionais que formam? Vergonha de ser brasileira!

Comentários encerrados.

Top