Entidades científicas pedem ao governo liberação de R$ 570 milhões para o CNPq

Em carta conjunta, presidentes da SBPC e da ABC pedem ao ministro Kassab empenho junto a Temer para descongelamento ‘urgente’ de recursos


MAURÍCIO TUFFANI,
Editor

Se não houver o descongelamento urgente de R$ 570 milhões do orçamento do CNPq, estarão em situação de grave risco bolsas, projetos e programas de pesquisa importantes, como os dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia, que foram autorizados a partir de editais de chamadas públicas. O alerta foi feito nesta segunda-feira (31) pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e pela Academia Brasileira de Ciências (ABC) ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Na carta enviada ao ministro Gilberto Kassab (PSD), os físicos Ildeu de Castro Moreira e Luiz Davidovich, respectivamente presidentes da SBPC e da ABC, solicitaram “máximo empenho” junto ao presidente Michel Temer e ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão para o descontingenciamento orçamentário e sua liberação financeira “com urgência, por serem absolutamente necessários para o funcionamento do CNPq e para a manutenção das atividades de pesquisa científica em todo o Brasil”. E acrescentaram:

Esta nossa manifestação busca, ainda, alertar a todas as autoridades responsáveis, bem como à comunidade científica e à sociedade brasileira em geral, sobre os impactos gravíssimos que poderão advir de uma situação na qual o CNPq, uma agência tão importante e com tal simbolismo para a ciência brasileira, possa entrar em um processo de colapso no cumprimento de suas responsabilidades e compromissos com os pesquisadores, os estudantes de pós-graduação e os jovens bolsistas de todo o país.

As duas entidades afirmaram também preocupação com a dotação orçamentária para ciência e tecnologia para 2018, que, se for mantido no mesmo nível de 2017 “levará o CNPq a uma situação crítica também no ano próximo”.

Clique aqui para ler na íntegra a carta conjunta da SBPC e da ABC.

 

O que diz o governo

Procurado por Direto da Ciência no início da noite desta segunda-feira, o MCTIC, por meio de sua assessoria de imprensa, emitiu nota afirmando que

destaca o papel da pesquisa científica, imprescindível para o desenvolvimento econômico e social de qualquer país, como demonstra a história. Portanto, o ministério trabalha pela recomposição orçamentária, atuando junto aos Ministérios da Fazenda e do Planejamento pelo descontingenciamento de recursos, que afetaram os diferentes órgãos do Governo Federal.

No cenário de ajuste fiscal, o MCTIC está dando prioridade a seus institutos (16 unidades de pesquisa e as 6 organizações sociais). Além disso, este ministério está acompanhando criteriosamente as atividades dos institutos de pesquisa de maneira a evitar que impactos significativos venham a ser observados.

Na imagem acima, o presidente Michel Temer e o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações , Gilberto Kassab. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil.

Apoie o jornalismo crítico e independente de Direto da Ciência

Você acha importante o trabalho deste site? Independência e dedicação têm custo. E conteúdo exclusivo e de alta qualidade exige competência e também investimento para ser produzido. Conheça o compromisso de Direto da Ciência com essa perspectiva de trabalho jornalístico e com seus leitores. (Clique aqui para saber mais e apoiar.)


Receba avisos de posts de Direto da Ciência.

Informe seu e-mail para receber avisos. Ele não será fornecido a terceiros.

Para sua segurança, você receberá uma mensagem de confirmação. Ao abri-la, basta clicar em Confirmar, e sua inscrição já estará concluída. Você sempre poderá, se quiser, cancelar o recebimento dos avisos.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

*

Top