Carta de pesquisador no Globo é só a ponta do iceberg do estrago de Pezão na UERJ

MAURÍCIO TUFFANI,
Editor

Impossibilitado de ir para um spa, como costuma fazer o governador Luiz Fernando “Pezão” (PMDB), pois está sem receber salários há três meses, além de ainda não ter recebido do 13º do ano passado, o pesquisador Israel Felzenszwalb, professor da Universidade Estadual do Rio de janeiro (UERJ) e autor de mais de 100 trabalhos publicados em bases de dados internacionais na área de ciências biomédicas, publicou uma carta na seção Dos Leitores de hoje de O Globo.

O sofrimento de Felzenszwalb não é menos importante do que o de tantos outros entre mais de 200 mil servidores do estado em situação semelhante ou até pior. No entanto, como atrasos com salários só acontecem após já terem sido cortados investimentos e até mesmo pagamentos de despesas obrigatórias, essa situação com pesquisadores significa que foram interrompidas atividades que dificilmente poderão ser retomadas sem graves prejuízos.

No caso de Felzenswalb, que atua em pesquisas sobre tratamentos de doenças, inclusive cânceres, esse prejuízo no trabalho assume dimensões muito mais graves.

Carta na seção Dos Leitores, de O Globo.
Imagem: Reprodução.

 

Roubalheira e farra fiscal

Além crise econômica de âmbito nacional e da roubalheira intensificada na gestão do governador Sérgio Cabral (PMDB), que já está preso, a situação do estado do Rio de Janeiro se deve também à generosa política de incentivos fiscais de Pezão.

Em maio do ano passado, um parecer relator José Gomes Graciosa, do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ), concluiu que o Governo do Rio havia concedido R$ 185,85 bilhões desde 2015 em benefícios fiscais para empresas, segundo reportagem do jornal Extra.

Como bem disse em seu blog nessa ocasião o geógrafo Marcos Pedlowski, professor da Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), “uma coisa é certa: o Rio de Janeiro não está na pindaíba que se encontra por causa dos salários pagos aos seus servidores”.

Na imagem no alto, o governador do Rio de Janeiro (RJ), Luiz Fernando Pezão. Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado.

Você acha importante o trabalho deste site?

Independência e dedicação têm custo. E conteúdo exclusivo e de alta qualidade exige competência e também investimento para ser produzido. Conheça o compromisso de Direto da Ciência com essa perspectiva de trabalho jornalístico e com seus leitores. (Clique aqui para saber mais e apoiar.)


Receba avisos de posts de Direto da Ciência.

Informe seu e-mail para receber avisos. Ele não será fornecido a terceiros.

Para sua segurança, você receberá uma mensagem de confirmação. Ao abri-la, basta clicar em Confirmar, e sua inscrição já estará concluída. Você sempre poderá, se quiser, cancelar o recebimento dos avisos.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

Um comentários;

  1. Pingback: C&T 169 – Jornal Pensar a Educação em Pauta

Comentários encerrados.

Top