Boletim de Notícias: Amazônia emite mais gás metano do que se pensava

MAURÍCIO TUFFANI,
Editor

Em estudo  publicado no início deste mês na revista Nature, pesquisadores brasileiros e britânicos concluíram que as árvores de áreas alagáveis na Amazônia emitem por ano entre 15 milhões e 20 milhões de toneladas de metano (CH4), o equivalente ao que é exalado por todos os oceanos juntos. O artigo, que já havia sido noticiado pela revista Pesquisa Fapesp, tem mais explicações em matéria de ontem do Nexo.

Confira nas reportagens “Amazônia é uma das principais fontes emissoras de metano do mundo”, de Rodrigo de Oliveira Andrade, na Pesquisa Fapesp, e “Como a Amazônia emite mais gás metano do que se pensava”, de André Cabete Fábio, no Nexo.

A seguir, os títulos e links das principais matérias sobre ciência, meio ambiente e ensino superior desde nossa edição de ontem.

Boa leitura.

Na imagem acima, paisagem típica amazonense em época de cheia, onde as florestas ficam submersas. Foto: Morgana Ráo Neumann, sob licença Creative Commons Attribution-Share Alike 3.0 Unported.

 

BBC Brasil

Bishop Blog

CNPq

O Eco

Estadão (O Estado de S. Paulo)

Folha.com (Folha de S.Paulo)

Greg Laden’s Blog

The Guardian

New Scientist

The New York Times

Nexo

Retraction Watch

Scientific American

Valor Econômico

The Washington Post

 


Você acha importante o trabalho deste site?

Independência e dedicação têm custo. E conteúdo exclusivo e de alta qualidade exige competência e também investimento para ser produzido. Conheça o compromisso de Direto da Ciência com essa perspectiva de trabalho jornalístico e com seus leitores. (Clique aqui para saber mais e apoiar.)


Receba avisos de posts de Direto da Ciência.

Informe seu e-mail para receber avisos. Ele não será fornecido a terceiros.

Para sua segurança, você receberá uma mensagem de confirmação. Ao abri-la, basta clicar em Confirmar, e sua inscrição já estará concluída. Você sempre poderá, se quiser, cancelar o recebimento dos avisos.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

Top