Boletim de Notícias: Pressão intensa atinge um terço das áreas protegidas do planeta

MAURÍCIO TUFFANI,
Editor

Expansão de áreas urbanas e rurais, construção de estradas e outras atividades humanas estão exercendo pressão intensa e vulnerabilizando 32,8% de todas as áreas de conservação da biodiversidade do planeta, segundo um estudo publicado ontem, quinta-feira (17) pela revista Science.

Essa extensão toda sob ameaça corresponde a aproximadamente 6 milhões de quilômetros quadrados, o equivalente a 70% do território do Brasil, de acordo com o trabalho de autoria de pesquisadores da Universidade de Queensland, na Austrália, da Universidade do Norte de British Columbia, no Canadá, e da Sociedade para a Conservação da Vida Selvagem, dos Estados Unidos.

Confira a repercussão do estudo “One-third of global protected land is under intense human pressure” nas reportagens abaixo com títulos destacados em negrito nermelho.

A seguir, os títulos e links das principais matérias sobre ciência, meio ambiente e ensino superior desde nossa edição de ontem.

Boa leitura.

Na imagem acima, exploração mineral ilegal no interior da Floresta Nacional do Crepori, no município de Jacareacanga (PA). Foto: ICMBio/Divulgação.

 

Agência Brasil

Agência Câmara Notícias

Agência Fapesp

Agência Pública

BBC Brasil

For Better Science

Capes – Notícias

Carbon Brief

Carlos Orsi

ClimaInfo

Deutsche Welle

O Eco

Estadão (O Estado de S. Paulo)

Folha.com (Folha de S.Paulo)

G1

O Globo

The Guardian

Inside Climate News

O Joio e o Trigo

Jornal da Ciência (SBPC)

Nature News

New Scientist

The New York Times

Retraction Watch

The Scholarly Kitchen

Science

Scientific American

Scientific American Brasil

Valor Econômico

The Washington Post


Siga Direto da Ciência no Twitter e no Facebook.


Você acha importante o trabalho deste site?

Independência e dedicação têm custo. Com seu apoio produziremos mais análises e reportagens investigativas. Clique aqui para apoiar.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

Top