Observatório do Clima repudia loteamento político do Instituto Chico Mendes

Membro do PROS esteve na sede do instituto e afirmou que sua nomeação já foi decidida pelo governo.

MAURÍCIO TUFFANI,
Editor

A organização não governamental Observatório do Clima divulgou na manhã desta sexta-feira (25) nota de repúdio à “tentativa” pelo governo federal de nomear um integrante do Partido Republicano da Ordem Social (PROS) “sem nenhuma experiência com conservação” para o cargo de presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Na semana passada (14), cerca de cem servidores do instituto realizaram uma manifestação à frente da sede do órgão, em Brasília, em reação à notícia de que o governo federal teria escolhido para o cargo o vice-presidente do PROS Nacional, Moacir Bicalho. Em seguida, eles entregaram ao ministro interino do Meio Ambiente, Edson Duarte, uma carta de protesto contra a escolha, que não se concretizou (“Servidores do ICMBio não querem ser chefiados por político sem perfil técnico”).

No mesmo dia da manifestação, a Casa Civil afirmou por meio de nota:

Com relação a possível escolha de Moacir Bicalho para o ICMBio, a Casa Civil afirma que esse assunto não passou por este ministério.

O governo teria mudado de ideia e escolhido para o cargo Cairo Tavares, diretor técnico da Fundação da Ordem Social, vinculada ao PROS, segundo as seguintes notícias.

Segue a transcrição da nota do OC.

Nota do Observatório do Clima sobre a sucessão no ICMBio

BRASÍLIA, 25/5/2018 – A indicação de um membro do PROS para chefiar o Instituto Chico Mendes de Conservação da Natureza vai longe demais até mesmo para um governo que tem no fisiologismo a sua essência, como é o de Michel Temer. Nesta semana, funcionários do ICMBio foram informados de que o instituto será presidido por Cairo Tavares, indicado pelo PROS, sócio de uma distribuidora de bebidas em Goiás e sem nenhuma experiência com conservação. Na busca fútil por manter algum fiapo de poder no Congresso nos últimos meses de uma administração naufragada, Temer se dispõe a entregar as 333 unidades de conservação federais – que somam 9% do território nacional – à barganha política. Ao fazê-lo, fragiliza ainda mais a proteção à natureza num momento em que as áreas protegidas se encontram sob ataque da bancada ruralista. Também dá uma banana aos compromissos internacionais do Brasil e a uma sociedade que tem direito a seus parques preservados.

O Observatório do Clima repudia a tentativa de nomear para o ICMBio o sr. Cairo Tavares, ou seus correligionários, ou qualquer pessoa sem experiência em gestão socioambiental, e se solidariza com os funcionários do instituto em sua oposição a mais esse absurdo.

Ao final da manhã desta sexta-feira, Direto da Ciência solicitou à Casa Civil uma posição do governo sobre as notícias divulgadas desde ontem sobre o assunto, inclusive  sobre a nota do Observatório do Clima. Se houver resposta, esta página será atualizada com ela.

(Atualização às 13h20) Funcionários do ICMBio confirmaram a Direto da Ciência que Cairo Tavares esteve ontem, quinta-feira (24), na sede do instituto e afirmou em reunião que já está decidida sua nomeação para o cargo de presidente do órgão.

Na imagem acima, servidores do ICMBio em manifestação no dia 14, à frente da sede do órgão, contra escolha política para a presidência do instituto.

Você acha importante o trabalho deste site?

Independência e dedicação têm custo. Com seu apoio produziremos mais análises e reportagens investigativas. Clique aqui para apoiar.


Receba avisos de posts de Direto da Ciência.

Informe seu e-mail para receber avisos. Ele não será fornecido a terceiros.

Para sua segurança, você receberá uma mensagem de confirmação. Ao abri-la, basta clicar em Confirmar, e sua inscrição já estará concluída. Você sempre poderá, se quiser, cancelar o recebimento dos avisos.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

*

Top