Estudo mostra como plausível ‘pesadelo climático’ com 14˚C de aquecimento

Pesquisa projeta colapso de nuvens para aumento das atuais concentrações atmosféricas de dióxido de carbono.

Um estudo publicado na segunda-feira (25) na revista Nature Geo sobre simulações com o triplo da concentração de dióxido de carbono (CO2) chamou a atenção do físico Paulo Artaxo: “cenário digno de planeta que endoidou”.

Um cenário desastroso, no qual as temperaturas globais poderiam saltar 14˚C, já é encarado como algo plausível pela comunidade científica, alerta o físico Paulo Artaxo, professor da Universidade de São Paulo, em comentário no Facebook sobre um novo estudo publicado na revista Nature Geo na segunda-feira (25).

O estudo revela que, se as concentrações de CO2 chegarem ao triplo das atuais, isso provocaria uma elevação adicional de 8˚C na temperatura média global, produzindo o colapso da formação de nuvens e deixando o planeta 14˚C mais quente – um “pesadelo climático”, nas palavras do Boletim ClimaInfo ao comentar a explicação de Artaxo.

“Uma simulação como esta, alguns anos atrás, jamais seria feita e publicada na Nature. Agora pode ser um cenário plausível. Se realmente não reduzirmos drasticamente as emissões de CO2, este cenário não é mais loucura. Cenário digno de planeta que endoidou completamente”, escreveu Artaxo em seu perfil.

Segundo o físico da USP, o estudo publicado na Nature Geo mostra o que aconteceria em um sistema climático com uma concentração de CO2 a 1200 ppm. “A formação de nuvens estratocumulus seria fortemente inibida, o que levaria a um feedback positivo de 8 graus!!! Além dos 6 graus de aumento do CO2, teríamos adicionais 8 graus, dando cerca de 14 graus de aquecimento no planeta, sem condições termodinâmicas de formação de nuvens”, acrescentou o pesquisador.

“Para que isso ocorresse, porém, seria necessário manter altas emissões de gases de efeito estufa”, disse o jornalista Claudio Angelo ao comentar o estudo no site do Observatório do Clima. “O Acordo de Paris busca evitar que isso aconteça, mas a ascensão de governos de extrema direita em países como os EUA e o Brasil criam obstáculos ao cumprimento do acordo”, acrescentou.

O artigo “Possible climate transitions from breakup of stratocumulus decks under greenhouse warming” foi divulgado também pelo Carbon Brief e Quanta. (Fábio de Castro)

Acima, imagem da Fundação Nacional de Ciências dos EUA sobre ondas de calor. Crédito: NSF Central Arizona-Phoenix LTER Site.

Siga Direto da Ciência no Twitter e no Facebook.


Você acha importante o trabalho deste site?

Independência e dedicação têm custo. Com seu apoio produziremos mais análises e reportagens investigativas. Clique aqui para apoiar.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

Um comentários;

  1. Alberto Luiz said:

    Quem semeia vento colhe tempestade.

Comentários encerrados.

Top