Funcionários do MMA criticam resposta de Salles a ex-ministros

Entidades afirmam que ministro segue ‘raivoso caminho guiado pela desqualificação sumária de toda a estrutura sob sua responsabilidade’.

MAURÍCIO TUFFANI,
Editor
Domingo, 12 de maio de 2019, 9h02.

Duas associações de servidores do Ministério do Meio Ambiente (MMA) criticaram a resposta do ministro Ricardo Salles divulgada na tarde de quarta-feira (8) em reação ao comunicado de oito ex-ministros da pasta que no mesmo dia haviam se reunido em São Paulo e concedido uma entrevista coletiva sobre a política ambiental do atual governo.

Salles segue um “raivoso caminho guiado pela desqualificação sumária de toda a estrutura sob sua responsabilidade”, afirmaram a Associação Nacional dos Servidores da Carreira de Especialista em Meio Ambiente (Ascema) e d Associação dos Servidores da Carreira de Especialista em Meio Ambiente e do PECMA, no Distrito Federal (Asibama-DF). “No mínimo, convém ouvir as autoridades que já conduziram os rumos ambientais do país”, disse a carta conjunta das duas entidades.

“Contudo, em vez acolher críticas e sugestões apresentadas pelo grupo de ex-ministros, o atual ocupante do cargo, imediatamente após a emissão do comunicado dos ex-ministros, apresentou, mais uma vez, uma resposta retórica, revestida de nota institucional”, acrescentou a carta das associações.

No documento que distribuíram à imprensa, os ex-ministros do MMA haviam afirmado que “a governança socioambiental no Brasil está sendo desmontada, em afronta à Constituição” e denunciaram o atual governo de promover uma política “sistemática, constante e deliberada de destruição” das políticas ambientais.

O documento foi assinado pelos ex-ministros ex-ministros Rubens Ricupero (1993-1994), Gustavo Krause (1995-1998), José Sarney Filho (1999-2002 e 2016), José Carlos Carvalho (2002), Marina Silva (2003-2008), Carlos Minc (2008-2010), Izabella Teixeira (2010-2016) e Edson Duarte (2018) e divulgado pelo Instituto de Estudos Avançados da USP, onde eles se reuniram pela manhã no dia 8 e deram entrevista coletiva (“Ex-ministros do Meio Ambiente condenam ‘desmonte da governança socioambiental'”).

Em sua nota de resposta ao comunicado de seus antecessores, Salles referiu-se a uma “campanha de difamação promovida por ONGs e supostos especialistas, fez acusações às gestões anteriores e afirmou sarcasticamente: “quanto à mencionada governança, é de se comemorar que tal palavra tenha entrado no vocabulário da seara ambiental”.

A carta conjunta das associações de servidores criticou ponto por ponto a resposta de Salles aos ex-ministros e afirmou também:

Não é segredo também que, apesar de mantido o Ministério do Meio Ambiente, todas as decisões e cargos do MMA têm sido submetidos, previamente, à anuência do setor agrícola. A subserviência ao setor agrícola vem sendo sentida desde o período de transição governamental.

Confira a “Resposta à nota do ministro do Meio Ambiente de 8 de maio”.

Leia também:

“Agromitômetro: A nota de Ricardo Salles aos ex-ministros – Ministro do Meio Ambiente recorre a “fatos alternativos”, distorções e agressão em resposta a comunicado de seus antecessores” (Observatório do Clima)

Na imagem acima, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Foto: José Cruz/Agência Brasil.

Siga Direto da Ciência no Twitter e no Facebook.


Você acha importante o trabalho deste site?

Independência e dedicação têm custo. Com seu apoio produziremos mais análises e reportagens investigativas. Clique aqui para apoiar.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

*

Top