Para Salles, evento na Bahia sobre clima seria foco de protestos contra sua gestão

Ministro do Meio Ambiente cancelou a Climate Week marcada para agosto em Salvador, preparatória para Conferência do Clima da ONU.

Terça-feira, 14 de maio de 2019, 8h59.

O motivo de o governo federal ter cancelado a realização da Climate Week Latin America em Salvador, agendada para 19 a 23 de agosto foi o receio do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles (Novo-SP), de que o evento regional da Convenção-quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC) seria um foco gerador de protestos de ambientalistas contra sua gestão.

A informação foi divulgada pelo Observatório do Clima nesta terça-feira. O evento cancelado era preparatório para a 25ª Conferência das Partes da UNFCCC, que será realizada em novembro em Santiago, no Chile – e da qual o governo brasileiro também desistiu no ano passado a pedido da equipe de transição após a vitória de Jair Bolsonaro na eleição presidencial.

A desistência, que deverá ser comunicada formalmente pelo governo nesta semana, foi informada ontem por um e-mail dos organizadores do evento na UNFCCC. Questionado pela Folha de S.Paulo sobre o motivo do cancelamento, o MMA respondeu: “O evento foi concebido pela gestão anterior, em momento em que o Brasil sediaria a COP-25, condição não mais presente”.

O secretário municipal de Sustentabilidade de Salvador, André Fraga, declarou ao jornal O Globo que já na semana passada havia recebido um telefonema do MMA cancelando um encontro em que discutiriam detalhes da Semana do Clima na Bahia. E acrescentou: “Fui informado de que o ministro Ricardo Salles não estava confortável com a realização do evento no Brasil. Alegou o que todos desse governo alegam: que o evento só serve de plataforma para ONGs, que é inútil e que o foco do MMA é a agenda urbana, que não tem nada a ver com mudanças climáticas”.

O governo brasileiro decidiu também não participar da Conferência do Bom Crescimento, organizada pelo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud), que começou nesta segunda-feira (13) em Lima, no Peru, informou a Folha.

 

Negacionismo climático

No ano passado, em sua campanha eleitoral, Bolsonaro criticou o Acordo de Paris da Convencão do Clima. Antes mesmo de ser escolhido por ele para ser ministro das Relações Exteriores, o diplomata Ernesto Araújo formulou sua esdrúxula concepção da “ideologia da mudança climática, o climatismo”, como uma conspiração da esquerda baseada em “uma tática globalista de instilar o medo para obter mais poder”.

Por sua vez, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, não tem chegado à atitude negacionista com a mudança do clima, mas tem afirmado que o assunto é de interesse “acadêmico” e não é prioritário de sua gestão, cujo foco principal está em problemas urbanos. Como se essa ameaça não tivesse nada a ver com as cidades!

Direto da Ciência questionou o Ministério do Meio Ambiente sobre a atuação do ministro Ricardo Salles no cancelamento da Climate Week Latin America em Salvador. Esta página será atualizada se houver resposta.

 

Resposta equivocada (atualização às 10h29)

O MMA ainda não deu respondeu, mas o Blog da Andréia Sadi, no G1, publicou nota afirmando que o ministro Ricardo Salles disse que o governo federal cancelou o evento da ONU sobre o clima, em Salvador, porque “não fazia sentido” o Brasil sediar um encontro para preparar a COP-25, que não vai mais acontecer no Brasil. “Vou fazer uma reunião para a turma ter oportunidade de fazer turismo em Salvador? Comer acarajé?”, afirmou o ministro, segundo o blog.

Com essa resposta, Salles se mostra mais uma vez “por fora” de assuntos sobre os quais fala. Na verdade, o que não faz sentido é seu pressuposto de que a reunião preparatória e a Conferência das Partes (COP) da Convenção do Clima devem ser realizada no mesmo país. Em setembro do ano passado, por exemplo, foi realizada em Bangkok, na Tailândia, a reunião preparatória para a COP-24 que aconteceu em novembro em Katowice, na Polônia.

Na verdade, duplamente “por fora”. Independentemente desse aspecto, apesar de que estava sendo organizada pela Convenção do Clima, a Climate Week Latin America não estava agendada como um encontro preparatório da próxima COP, como foi o caso da citada reunião de Bangkok. O objetivo do workshop de Salvador era “inspirar indivíduos e organizações para fazer parte do impulso criado pelo acordo climático global em Paris”, como informa a página do evento

Leia também:

Na imagem acima, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles. Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Siga Direto da Ciência no Twitter e no Facebook.


Você acha importante o trabalho deste site?

Independência e dedicação têm custo. Com seu apoio produziremos mais análises e reportagens investigativas. Clique aqui para apoiar.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

*

Top