Manifesto do Instituto de Pesca protesta contra plano de mudança da sede

Funcionários alertam para risco de desmobilização de laboratórios, ‘com prejuízo ao andamento de projetos de pesquisa’.

MAURÍCIO TUFFANI,
Editor
Sexta-feira, 14 de agosto de 2020, 9h06.

Em um manifesto coletivo, funcionários do Instituto de Pesca do Estado de São Paulo (IP) afirmam que “está em andamento um conjunto de ações” para transferir a sede do órgão, no Parque da Água Branca, na capital paulista, para as dependências do Instituto Biológico (IB), na Vila Mariana, na mesma cidade, com risco de “desmobilização, mesmo que temporária, de diversos laboratórios, com prejuízo ao andamento de projetos de pesquisa, bem como à produção acadêmica e técnico-científica”.

Os dois institutos são vinculados à Secretaria da Agricultura e Abastecimento do estado (SAA). O documento, que segundo os organizadores teve a adesão de todos os 43 pesquisadores e demais servidores lotados na sede, afirma:

Não houve até o momento uma comunicação formal dessa transferência, muito menos de motivos que a justifiquem, nem de estudos que a subsidiem, nem de projetos das novas instalações, nem dos recursos para sua viabilização. Há apenas a falta de transparência na condução do processo e o atropelo de iniciativas como a construção de cronogramas de mudança, orçamentos de mudanças, visitas aos locais disponibilizados para a ocupação pelo Instituto, tudo num contexto bastante confuso agravado pela quarentena.

Uma das razões possíveis para a pretendida desocupacão das dependências da sede do IP é a inclusão do Parque da Água Branca no plano de concessões de explorações de serviços ou de uso, total ou parcial de áreas inerentes à educação ambiental, recreação, lazer, esporte, cultura e turismo, previsto no Projeto de Lei nº 529/2020, enviado pelo governo na quarta-feira (12) à Assembleia Legislativa.

 

Pioneirismo

O “Pesca”, como passou a ser chamado desde sua fundação em 1969, é a primeira instituição brasileira voltada ao estudo de ecossistemas aquáticos e à biologia de organismos marinhos e continentais, com vistas ao povoamento e repovoamento com espécies indicadas, ressaltou a própria SAA.

O manifesto informa que a sede do IP teve nos últimos anos uma reforma em suas instalações, envolvendo recursos de cerca de R$ 2 milhões. Esse investimento resultou na criação dos laboratórios de Referência em Patologia de Organismos Aquáticos e de Referência em Limnologia, além do primeiro Quarentenário Público do Estado de São Paulo para organismos aquáticos, destinado ao controle sanitário e de saúde dos animais trazidos de outros países ou de diferentes bacias hidrográficas, reduzindo o risco de introdução e de disseminação de doenças no território brasileiro.

Construído na década de 1930, o Aquário do Instituto de Pesca é o mais antigo do Estado de São Paulo e o segundo mais antigo do Brasil. Também situado no Parque da água Branca, seus 30 viveiros de peixes, expõem as principais espécies de alto valor econômico para a aquicultura e a pesca. Contando com uma visitação expressiva de escolares e do público em geral, sobretudo nos finais de semana. Em 2019 recebeu mais de 52.860 visitantes, segundo o manifesto.

No estado, o IP é considerado o principal órgão interlocutor com as cadeias produtivas da pesca e da aquicultura. No ano passado, no início da gestão do governador João Doria (PSDB), 25 entidades ligadas à atividade pesqueira e à pesquisa no setor endossaram uma carta aberta de seus funcionários contra a proposta do governo de fundir órgão com o Instituto de Zootecnia, que não avançou.

 

Sem resposta

Na terça-feira (11) à tarde (15h37), Direto da Ciência encaminhou à Secretaria da Agricultura e Abastecimento a transcrição integral do manifesto dos funcionários da sede do Instituto de Pesca e solicitou um posicionamento da pasta sobre o documento. Não houve resposta até a publicação desta reportagem.

Clique aqui para ler a “Manifestação sobre a iniciativa de mudança da sede do Instituto de Pesca do Parque da Água Branca”.

Na imagem acima, sede do Instituto de Pesca, no Parque da Água Branca, em São Paulo. Foto: dornicke, sob licença Creative Commons Attribution-Share Alike 4.0 International.

Siga Direto da Ciência no Twitter e no Facebook.


Você acha importante o trabalho deste site?

Independência e dedicação têm custo. Com seu apoio produziremos mais análises e reportagens investigativas. Clique aqui para apoiar.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

*

Top