Pint of Science inclui educação em festival de divulgação científica de SP

Realizado por cientistas e educadores, o evento teve manifesto contra as queimadas no pantanal e dicas sobre como estudar online.

SYLVIA MARIA AFFONSO

Sexta-feira, 25 de setembro de 2020, 6h30.


Nos dias 8,9 e 10 de setembro o canal de educação científica Eureka!Brasil e a Agência de Inovação Tecnológica e Social da Universidade Federal de São Paulo (Agits/Unifesp) promoveram um evento especial sobre educação e o papel de professores durante o evento Pint of Science, organizado pela cidade de São Paulo.

Apelidado de Pint Educação, o evento aconteceu durante três dias com lives interativas e atingiu 40 mil pessoas nas redes do Eureka, abordando os temas “Mulheres, mães e cientistas?”, “Inspirar a inspirar – o papel de professores” e “Técnicas de aprendizagem”.

A live de estreia foi mediada por Alice Muglia, pesquisadora do Hospital do Câncer de Muriaé que recebeu Caren Souza, Daniella França, Karla Soares e Priscila Camelier. Professoras e pesquisadores de institutos brasileiros, elas compartilharam com o público os desafios de ser mulher em pesquisa de campo, produtividade acadêmica e a educação de filhos. Durante a apresentação, Daniella chamou a atenção para os graves problemas ambientais que o Brasil está passando e a necessidade de discutir uma política ambiental com urgência citando o poema “Queimaram o Pantanal”.

O segundo dia foi marcado pela presença de André Barcellos, professor de Física e premiado como educador nota 10 em 2020, e Karina Abrahão, docente da Unifesp e fundadora do Eureka!Brasil, que discutiram a importância de ser professor e professora no Brasil durante a pandemia. Desafios, orgulhos e conquistas.

O evento foi finalizado pela palestra de Roberta Ekuni, psicóloga e professora da Universidade Estadual do Norte do Paraná sobre técnicas de aprendizagem com a indagação: “Você sabe estudar?”, que explicou o processo de aprendizado no cérebro, estruturas correlacionadas e dicas de como melhorar os estudos online.

“Os temas são complementares e de relevância indiscutível para o momento que estamos passando nas Universidades e no país”, diz Paulo Schor, diretor da Agits. A agência disponibilizou sua mentoria na organização e produção do evento ao lado da coordenadora Letícia Pichinin, mestranda do programa de pós-graduação em Psicobiologia da Unifesp que teve o apoio de Thiago Alegria, biólogo e professor de cursinho popular na Universidade de São Paulo.

Na sequência, aconteceu o evento Pint of Science que teve como novidade divulgadores científicos fazendo a mediação de temas de outras áreas – proposta de inovação da Agits. Lucy, paleontóloga e divulgadora do Make Science BR, mediou Carolina Nocetti e Renato Filev que falaram sobre maconha medicinal. Ana Paula Morales, biomédica e cofundadora da Agência Bori fez a mediação da divertida live sobre paleontologia com Pirula e Aline Ghilard.

Essa parte do evento foi dividido em duas partes: Rodada de Ciência com perguntas para os palestrantes e o Gole de Ciência com palestras objetivas e descontraídas. São mais de 10 horas de material que podem ser acessados no canal do Eureka!Brasil no YouTube.

E não para por aí! Para fechar a noite, o Pint of Science BR fez um evento nacional trazendo nomes de peso da Ciência e da divulgação nacional: Helena Nader, Filipe Figueiredo, Ricardo Gazzinelli, Iberê Thenório, Natália Pasternak e Gustavo Goldman.

Essência do Pint of Science

O Pint é o maior evento de divulgação científico que ocorre simultaneamente, geralmente em meados de maio, em bares e restaurantes pelo mundo. A busca é por em espaços informais para que cientistas conversem com as pessoas sem termos técnicos e aproximando as pessoas da Ciência de forma que elas possam ver, sentir e experienciar a Ciência no seu dia a dia.

Este ano, os bares foram trocados pelas lives, devido à pandemia, e nada disso diminui a importância do festival. De acordo com a coordenadora do evento no Reino Unido, Praveen Paul “Foi preciso cortar alguns eventos para que a o público pudesse se organizar para assistir, mas conseguimos”.


Siga Direto da Ciência no Twitter e no Facebook.


Você acha importante o trabalho deste site?

Independência e dedicação têm custo. Com seu apoio produziremos mais análises e reportagens investigativas. Clique aqui para apoiar.


Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução de conteúdos de Direto da Ciência.
Clique aqui para saber como divulgar.

*

Top